Notícias

Institucional

HousingPact convoca 18 startups para programa de aceleração

Atualizado em 26/02/2020 às 15:02
HousingPact convoca 18 startups  para programa de aceleração

Em uma segunda etapa da iniciativa, seis negócios receberão aporte de R$ 10 mil cada e implementarão seus projetos no Jardim Ibirapuera, em São Paulo

Dezoito startups com atuação na cadeia estendida da habitação, de um universo de 38 empresas inscritas, foram selecionadas para a primeira fase do programa de aceleração HousingPact. Iniciativa de impacto social realizada pela HM em conjunto com ArcelorMittal, BASF, CBMM, Duratex, InterCement, Instituto InterCement, Tetra Pak e a Fundação Espaço ECO, o HousingPact busca melhorar condições de moradias em áreas com infraestrutura precária e contribui para fomentar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODSs), da Organização das Nações Unidas (ONU). Os projetos selecionados para a segunda etapa serão implementados na comunidade do Jardim Ibirapuera, em São Paulo.

 As 18 selecionadas são pequenas empresas da cadeia estendida da construção. Além dos segmentos de reforma e moradia, as empresas atuam também nos segmentos de destinação e tratamento de resíduos, eficiência energética, tratamento de água, espaços públicos, reciclagem, comunicação, legalização e crédito residencial. São elas: Programa Vivenda, EnGuia, Laminatus, Moradigna, Isobloco, Pwtech-Água Boa, Cooperativa Coletando, Outdoor Social, Nossa Casa, Erê Lab, SmartSíndico, Trashin, Firgun Tecnologia Social, Cooperativa Recifavela, Construfac - Faculdade da Construção Civil, ÁguaV Engenharia e Projetos, Módulo Sequência e Morada da Floresta Soluções Ecológicas. Metade das finalistas vem do ramo da construção e reformas, segmento seguido de coleta e destinação de resíduos, com 22% de participação. 

Esse grupo ficará em aceleração até dezembro. Até lá, as empresas receberão mentoria, sob coordenação do Impact Hub. "Esses 18 negócios selecionados terão a oportunidade de adaptar e testar suas soluções, buscando ao final da aceleração, em maio de 2020, a validação de novos produtos e serviços com potencial de contribuição para a experiência do morar não somente no Jardim Ibirapuera, mas em tantas outras regiões periféricas com os mesmos desafios sociais”, afirma Olga Simantob, coordenadora de aceleração do Impact Hub.  Em 2020, serão selecionados seis negócios para uma nova fase do programa. As finalistas receberão um aporte de R$ 10 mil reais cada (total de R$ 60 mil).


Ecossistema saudável

O HousingPact foi idealizado para ajudar a desenvolver um ecossistema saudável e que melhore a qualidade de vida de comunidades com moradias vulneráveis. Atualmente, mais de 12 milhões de pessoas vivem em comunidades vulneráveis, sendo que 89% deste total, cerca de 10,6 milhões, estão concentrados em grandes centros urbanos. Essa população é maior do que a de nove das dez capitais mais populosas do Brasil, como Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Fortaleza, Belo Horizonte, Manaus, Curitiba, Recife, entre outras.

Dados indicam que 3,8 milhões de pessoas querem empreender e que, do total destes moradores, pelo menos, 3,4 milhões têm a intenção de investir na melhoria das suas moradias. Enquanto o déficit de moradias no Brasil chega a 6 milhões de domicílios, o número de habitações com condições vulneráveis é muito maior, próximo a 11 milhões. Os dados são do Censo IBGE, PNAD, IPEA e Data Favela.

Com este cenário, o objetivo do HousingPact é melhorar as habitações de comunidades e impactar positivamente na experiência de moradia dessa população. Adicionalmente, o projeto também tem capacidade de potencializar a cadeia estendida ligada ao setor da habitação que, eventualmente, já faz parte da própria comunidade. 

O programa contribui para fomentar e implementar o ODS 17 – Objetivos do Desenvolvimento Sustentável: Parcerias e Meios de Implementação; que faz parte de uma agenda mundial adotada durante a Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável em setembro de 2015 composta por 17 objetivos e 169 metas a serem atingidos até 2030.

Como funciona o HousingPact

O HousingPact consiste num programa de aceleração de startups e novos negócios que possam atender às demandas da população das classes C, D e E, em reformas, espaços públicos, destinação de resíduos, água, saneamento, energia, microcrédito habitacional e segurança, entre outras.

Uma chamada pública convocou startups para realizarem suas inscrições. Do total de 38 negócios inscritos, foram selecionadas 18 empresas que se destacaram nos critérios de maturidade em gestão e potencial de impacto. Essa é a grande proposta de valor do modelo de aceleração: proporcionar aos negócios a possibilidade de testar e implementar suas soluções com clientes reais, em ambiente orientado, vivenciando a aplicação prática do que projetaram.

Além disso, receberão um módulo de aceleração avançada e customizado às suas necessidades. Esta etapa inclui mentoria e programa de ensino imersivo em formato de workshop e atividades práticas, como intercâmbio com as equipes das empresas apoiadoras e desenvolvimento ou aprimoramento dos projetos, aplicados na prática com a comunidade.

“Há espaço para o desenvolvimento de novas lógicas de mercado, especialmente quando falamos de pequenas empresas, empreendedores e uma população que ainda não tem um cardápio de produtos e serviços customizados para suas necessidades, como é o caso dos moradores de comunidades vulneráveis em grandes cidades e população de baixa renda”, afirma Elaine Belém, Superintendente de Operações Comerciais da HM Engenharia.

 Saiba mais sobre o HousingPact http://www.housingpact.com/